Vale a pena assistir um reality show de gastronomia?

Adicionar nova página ‹ TI Talentos — WordPress
0

De repente, um dia desses, eu me peguei pensando nos programas de TV que eu andava assistindo. Mentalmente, comecei a listar o que de fato prestava um pouco e o que eles representavam para mim. Comecei a pensar nisso, quando percebi que não estava mais assistindo televisão como antigamente e agora, com uma pequena vida sob o meu comando, por prazo determinado, a gente começa a repensar em tudo o que anda fazendo, pensando, comendo, assistindo… (o fantástico mundo da maternidade). Até que logo no terceiro item, pensei no Masterchef profissionais. Para quem não acompanha ou nunca ouviu falar, é um reality show de gastronomia, exibido pela TV Bandeirantes nas terças feiras noturnas. Confesso, sou horripilante na cozinha, mas amo de paixão assistir programas de culinária e não, não coloco nenhuma receita em prática (vai entender!). Contudo, este é um dos programas que de fato agregam conhecimento e logo pensei que ele serve para você também. Sim! Afinal, seja você um novato no mercado de trabalho ou um experiente executivo, ele serve para você!

Vivenciei na prática o quanto trabalhar em uma cozinha profissional é muito estressante e o quanto podemos trabalhar inúmeras competências profissionais e pessoais, entre elas destaco: comunicação, liderança, trabalho em equipe, capacidade de ouvir, resolução de problemas imediatos, criatividade, respeito, entre outras muitas competências. Uma das minhas experiências dentro da área de Recursos Humanos, foi atuar como coordenadora de treinamentos de um incrível Hotel na Bahia e pude vivenciar situações onde de fato, comprovaram os meus estudos sobre essa área.

O programa Masterchef profissionais reúne uma seleção de Chef’s profissionais (obvio), sob o comando de renomados Chef’s (uau!). É sensacional a quantidade de observações que podem ser feitas sobre este programa e o aprendizado para essa galera que participa também é sensacional! Veja aqui alguns dos muitos motivos que podem gerar reflexões e consequentemente, apoiar no desenvolvimento da sua carreira:

1)     Poder ver em detalhes suas ações, comportamentos, comunicação e reação às provas, broncas, contato com outros profissionais que são tão bons ou melhores do que você. Aonde você conseguiria esse material tão rico, para poder se analisar? Tenho quase certeza que muitos sentirão vergonha (ou não), sobre muitas das suas atitudes por lá. (sobre os participantes);

2)     O quanto o telespectador pode se identificar com cada participante e de fato, relacionar essa simpatia com sua personalidade? Você consegue identificar situações parecidas com algumas que já tenha vivenciado no seu ambiente profissional? O que concluiu? Com um colega também vale!

3)     Exemplos de liderança ou a falta dela – refiro- me aos participantes;

4)     Como você gostaria de ser liderado? – afinal de contas, nós julgamos ações que ocorrem no programa, porque afinal de contas, você tem uma opinião sobre aquelas situações, sejam certas ou erradas.

5)     E quando você sente vergonha alheia? Ali está cheio de exemplos do que não fazer, como por exemplo, o dia que um candidato foi ríspido, arrogante e mal educado com a Paola Corsella (renomada Chef de cozinha, apresentadora e jurada do programa). Você teria aquela atitude do participante (liderado)? E qual seria a sua atitude se fosse a Paola (líder)? E se ainda fosse o Diretor do programa? Como você daria o feedback para que aquilo não acontecesse mais?

6)     A cada programa os profissionais devem apresentar seus pratos para os jurados e ouvir a opinião deles, nas regras deles, com a visão de carreira e técnica deles. Como você julga a reação de cada um? Você identifica esse momento como aquele momento do feedback na sua empresa? Consegue diferenciar que ali é um jogo e que aquele momento, os participantes não podem discutir com o Chefe Jurado? Mas qual é a sua reação quando seu gestor fala dos seus resultados de maneira negativa na hora do feedback?

7)     Como você encara os conselhos dados por um superior para a sua carreira, mesmo você já se achando o máximo? Aliás, você se acha o máximo? Caso sim, o que te levou a essa conclusão? Caso não, o que você pode fazer para se sentir incrível sem se tornar arrogante?

8)     Será que quando já atingimos um nível profissional sênior, começamos a nos tornar arrogantes, acreditando que não precisamos mais de correções? Como encarar isso tudo?

9)     Como você está trabalhando seu Marketing pessoal? Será que os participantes pensaram nisso? Não somente na televisão, mas na vida real, a sua exposição pode ser tanto positiva, como a saída do candidato Luis, que infelizmente foi eliminado em uma batalha incrível com o guerreiro Dário ou no caso da participante Priscila, que ao ser “obrigada” a enfrentar a sua maior dificuldade (a confeitaria), acabou fazendo propaganda negativa dela mesma? O que você achou sobre a atitude dela? O que você faria e como?

10)  Você sabe quais são todos os pontos técnicos e comportamentais que você deve ter para atingir seu objetivo de carreira em longo prazo? Os que não possuem ainda estão planejados para desenvolver?

Acredito que esses 10 motivos sejam algumas das inúmeras situações que podemos relacionar com as nossas vidas corporativas (e pessoal também!).  Será que julgamos a atitude dos outros, enquanto nós mesmos fazemos até pior no nosso dia-dia corporativo e nas nossas vidas pessoais? Pense nesses questionamentos, reflita sobre as suas ações e relacionamento com os seus pares e líderes. Repense sobre a sua carreira! Analise seu marketing pessoal. É possível aprender com os erros e acertos dos outros? É possível relacionar com sua vida pessoal e profissional? É sim! E aí? Faz sentido para você? Vai encarar?

 

Andrea Tedesco – Co-Founder, Administradora, Coach e Educadora de Carreira

Deixe um comentário